fundamento (2019)

220217-Lume-ph Ana Pigosso-19-web.jpg

poesia multimídia, 500 x 300 cm

A obra nasce da observação do poder devastador que a colonialidade exerce sobre a vida. Ainda, sobre invenções de estatutos regulatórios que desconsideram muitos modos de existência. e, sobretudo, a partir de inquietaçõeses sobre como exercitar a subjetividade após processos de desumanização. A obra se configura a partir do desejo latente em estabelecer contato com sujeitos limitados pelo princípio da normalidade e aprender com o poder que essas existências têm de reconfigurar caminhos.

com léo castilho (e erika motta)
filmagem: zito raul